Geral

Mourões sintéticos inventados em Maringá podem durar 100 anos


Mourões de cerca que podem durar até 100 anos, mesmo em áreas encharcadas, foi uma das novidades lançadas na Expoingá deste ano e despertou o interesse de proprietários rurais, a ponto de as primeiras vendas serem realizadas no parque de exposições. O lançamento do produto foi feito na feira e um produtor rural de Itambé tornou-se o primeiro cliente.

Os mourões são feitos com um material sintético e toda a tecnologia foi desenvolvida em Maringá em nove anos de pesquisas e experimentos pelo inventor Nilson José Maximiano, também conhecido como Professor Pardal, que já tem outras invenções patenteadas.

Para desenvolver seus inventos, Professor Pardal criou a Tramaflex, ganhou espaço na Incubadora Tecnológica de Maringá, no antigo IBC, próximo à rodoviária. Os postes de fibra sintética passaram por vários testes na Universidade Estadual de Maringá (UEM) e a conclusão foi de que o material sintético terá uma durabilidade muito maior do que os tradicionais mourões de madeira ou mesmo os de concreto.

Segundo o inventor, outra vantagem de seus mourões é que eles são feitos com materiais reciclados, que estariam poluindo o meio ambiente se não fossem aproveitados. “Tudo foi feito pensando na sustentabilidade”, diz.

Além de cercar currais, o material criado por Nilson Maximiano poderá ser aproveitado para a construção de outros equipamentos usados nas propriedades rurais, geralmente feitos em madeira. O objetivo da empresa é utilizar o mesmo material para a fabricação de postes de energia elétrica e placas de laje para cobertura.

Após a criação do material, a Tramaflex precisava iniciar a comercialização e para isto nasceu a Ingá TecSus, que instalou estande na Expoingá e a partir de agora procurará os produtores para oferecer os produtos.

Os mourões de fibra polissintética já estão sendo empregados no parque de exposição de Maringá. A cerca da área destinado a experimentos da Integração Lavoura-Agropecuária-Floresta, onde soja e milho são cultivados em consórcio com pastagens e eucalipto, foi cercada com os mourões inventados por Maximiano.